12 janeiro 2017

Chacal: mais uma hamburgueria pra comer rezando

postado por Manu Negri


Interrompemos a programação de cinema, TV e literatura pra falar de outra coisa boa: comida. Mais especificamente, de hambúrgueres.

Como vocês podem ver aí na coluna da direita, o post mais lido do Vem aqui rapidão, pasmem, é a minha lista de hamburguerias belorizontinas que amo. E não vai sair desse ranking tão cedo, devo dizer.

Naquela época eu ainda não conhecia a Chacal, casa do ramo que abriu há quase 1 ano no bairro Dona Clara. Portanto, assim que que pintou o convite, fui prontamente conferir o que tem de bom nesse cardápio


O nome Chacal é inspirado no buldogue francês do proprietário, que também ilustra a marca. Assim fica mais fácil entender de onde veio a ideia de batizar os sanduíches de raças de cachorro: tem do pit bull ao yorkshire (mini-hambúrgueres! Aaawn), variando entre picanha, peixe, frango e até hambúrguer de shitake, senhoras e senhores. Acompanham batatas, claro, com molhinho barbecue, e você escolhe se quer na versão palito ou chips (de batata doce). Entre as bebidas, você encontra refris tradicionais e a saudosa Itubaína Retrô, sucos, cervejas da galera e cervejas especiais, e também drinks como caipivodkas e mojito.

 Eu provei o Labrador – com frango empanado num tempero bem do bão, cebolas caramelizadas e queijos muçarela e cheddar – e o Pastor Belga – que vem com costelinha bovina, crispy de alho-poró e um molho de jabuticaba dos deuses. Ambos deliciosos! As batatas palito vieram do jeitinho que gosto: finas, sequinhas e saborosas, longe do gosto de algodão de c e r t a s batatas congeladas que a gente encontra fácil por aí.


Deu vontade de desabotoar a calça em seguida? Deu. Mas, como todos deveriam saber, nós, humanos, temos dois estômagos: o da comida salgada e o da comida doce. Portanto, não pude recusar uma sobremesazinha: escolhi experimentar o milkshake de Oreo, indicação do Pedro, um dos gerentes da Chacal. E que indicação, mores. Eu, que nunca fui tão chegada em Oreo, quase chorei (quando provei e quando acabou). 


Sobre a estrutura, a Chacal é bem grande, com mesas espaçosas dentro e fora, numa espécie de varandinha. Como cheguei praticamente na hora em que abriram as portas (aliás, o que fazem todos os dias, às 18h), pude escolher tranquilo onde ficar. Achei bacana como tudo tem uma pegada ecológica e meio industrial, com os sofazinhos de pallet e com blocos de concreto, e bancos feitos com tonéis. Ah, e para distrair as crianças há um pula-pula de tamanho considerável (mas, como vovó já dizia, depois de comer não pode fazer exercícios – e nem tomar banho –; brinquem antes das refeições).

Por fim, o atendimento anda ao lado da qualidade dos outros serviços: amigável e atencioso.

Ou seja,  não tem erro. :)


Endereço: Av. Sebastião de Brito, 307 - Dona Clara.


0 comentários:

Postar um comentário