01 julho 2014

10 impressões de uma capixaba em Belo Horizonte

postado por Manu Negri



É normal notar diferenças e detalhes de um lugar novo quando a gente acaba de se mudar. Não quer dizer que sejam detalhes melhores do que da cidade ou mesmo país em que você estava antes, claro. Mas são outros hábitos, outra cultura, outras pessoas.

No meu caso, saí de Vitória, no Espírito Santo, estou em Belo Horizonte há pouco mais de dois anos e já posso listar algumas coisas que me chamaram a atenção na fase de adaptação.


1. Provavelmente não é uma novidade, mas: mineiros são muito simpáticos. Sim, eu sei que existe gente antipática e hospitaleira em todo lugar, blá-blá-blá whiskas sachê, mas foi algo que percebi muito no início. Se perder em BH não é problema nenhum, por exemplo: basta pedir ajuda a um mineiro na rua que ele praticamente te leva pela mão. Talvez até te convide pra um café na casa dele.

2. Já no trânsito, a educação exemplar infelizmente não é comum. É mais fácil o Leonardo DiCaprio ganhar um Oscar do que um carro parar pra você atravessar na faixa. Demorou demais pra arrancar no sinal verde? Buzina na orelha. Desacelerou pra entrar naquela vaguinha dando sopa à direita? Buzina. Inclusive resolveu parar pra alguém atravessar a rua? Buzina e um dedo do meio.

Dica 1: Se quiser mudar de faixa, melhor não dar a seta. Vai ser mais fácil.
Dica 2: Não estresse. Não importa a hora que você sair, o trânsito sempre será intenso em BH.

3. Lá em Vitória, se você quiser saber onde fica a Padaria do Bairro, provavelmente vão te dizer pra pegar a pracinha da Flash Vídeo e virar na esquina da barraca do churrasquinho. Capixaba não se localiza por nomes de avenidas ou ruas, quase sempre é ponto de referência – o contrário daqui.

4. Pegando carona em se achar pelos lugares: se um mineiro te disser que a farmácia X fica “logo ali”, desconfie. A menos que ali signifique “lá na puta que o pariu”, claro. Pra quem veio de uma capital bem pequena, é bom se lembrar que tudo em BH parece muito mais longe.  

5. Em quase todo ponto de ônibus, além do itinerário, horários e números das linhas correspondentes, há um painel informando em quanto tempo o seu ônibus chegará. Me chamem de jacu, mas achei revolucionárioam. E, ainda, o Google Maps funciona 100%: dá pra traçar o percurso de carro, ônibus ou a pé entre os destinos que você quiser.

6. BH é conhecida por ser a capital dos bares. Eu, que não ligo pra mar, troquei a água salgada pelo álcool. Adoro a vida noturna daqui; o problema é: grande parte dos lugares fecha por volta de 1h da madrugada. Irônico, não?

7. Pedalar está (quase) fora de cogitação. Dia desses vi que instalaram aquelas bicicletas do Itaú e fiquei me perguntando: por quê, Deus? Malhar as pernas em troca de expelir os pulmões? BH é completamente recheada de morros e as ciclovias são bastante limitadas, tornando esse exercício mais desafiador. Não vamos nos esquecer do trânsito delícia; favor reler o item 2.

8. Guerra eterna entre Cruzeiro e Atlético MG. Enquanto 99,9% dos capixabas torce pra times de outros estados (infelizmente, os clubes do estado não são expressivos), em BH temos basicamente a Raposa e o Galo e seus seguidores se alfinetando pela cidade.

9. O sotaque. Aquele que divide opiniões. Ou é roceiro demais ou é gracinha demais. Eu, particularmente, sou do time que acha gracinha: não dá vontade de abraçar a pessoa quando ela diz que está apaixonada COM alguém? Ou quando fala “trem”, “uai” e “sô” na mesma frase? Capixaba sem sotaque que sou (não aceito muito bem o contrário), peguei o costume rapidinho.

Gíria feia: "fraga" (equivalente a "saca". Aplicação numa frase: "Ontem assisti àquele filme que você recomendou, fraga?").

10. Winter is coming. Quem mora em Vitória sabe que lá é um inferno de quente, mesmo no inverno. 23°C é motivo pra sair de casa com casaco e botas (se chover então, vish!). O que significa que, sim, passei um frio gostosíssimo até me acostumar com a temperatura mais amena de BH. 


5 comentários:

  1. Hahahaha, muito bom! Adorei as observações. Achei dignas.

    ResponderExcluir
  2. Muito bom manu kkkk
    Mas to duvidando do frio de minas kkkk

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Proíbo sulistas de darem pitaco nesse tópico :P

      Excluir
  3. Sensacional seu texto!
    Fiz a mudança inversa, de BH pra Vila Velha, mas como sou do interior mineiro e estudei também no interior, seu exatamente do que está falando.
    De tudo que comentou, as duas únicas coisas que prefiro em BH são a simpatia do mineiro e os bares. No mais, pra mim, Vitória e Vila Velha ganham em tudo! Trânsito, ciclovia, beleza natural...tudo!
    Muito legal seu texto!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Bruna!
      Eba, fico feliz que tenha gostado :)
      Da primeira vez que fui à Vitória depois de ter me mudado, e vi pela janela do avião a Terceira Ponte e aquela paisagem linda, eu chorei. Sério, hahaha! Vitória é linda, é um lugar mais fácil de viver, mais tranquilo, mas descobri que gosto de cidade grande... :/ Fico muito dividida.

      Beijo, e obrigada pela visita.

      Excluir