04 março 2015

Pra aparecer

postado por Manu Negri


Foto: Nora Setiawan

Chegou o prato. Espera, antes de comer, esse vai pro Insta. Precisa aparecer o bife e essa verdura que não sei o nome, mas que tá compondo bem o visual. Depois, uma foto de uma corridinha marota pra equilibrar. Na legenda está 10 km, mas na verdade foi menos da metade. Às vezes nem tem corrida mesmo, só a foto num parque qualquer. Ninguém precisa saber. Desde que apareça o por-do-sol e a marca da Nike na minha legging do outlet. Vem cá, tira uma foto comigo, faz uma cara despretensiosa. Ou caretas, sempre parecem descoladas. Que turminha do barulho, viu. Cansei, quero só selfies agora. Duck face tá fora de moda, mas boquinha entreaberta, não. Sexy sem ser vulgar. Vem, tem que aparecer a marquinha do biquíni; não viajei pra Guarapari e comprei Cenoura&Bronze à toa, né, gente? Pensando bem, selfie não. Tira uma foto minha, mas vou fingir que você não tá tirando foto nenhuma, tá? Tem que aparecer minha tatuagem em cima do cotovelo. A propósito, as férias estão chegando, bora escolher um lugar pra viajar? Pode ser qualquer um, desde que dê pra descansar. Desde que dê pra fazer check-ins cool. Qualquer um que tenha paisagens pra fotos legais. Qualquer um que faça frio e tenha paisagens pra fotos legais. Afinal, tem que aparecer os gorros e cachecóis. Com muitos filtros, até ficarmos irreconhecivelmente lindos nelas. Quê, esse livro que publiquei ontem? Do Nietzsche. Dizem que se pronuncia Níti. Não é que eu tenha lido, era só pra aparecer a capa. Se colar, colou. E hoje, hoje não tá um dia bom: basta que só apareça o meu sorriso falso. Mas nada como comer pra melhorar o humor, vamos pedir um prato? Dá aqui a câmera. Uma salada ou risoto de frutos do mar. Mas tem que aparecer o vinho na mesa. O importante é parecer foda o tempo todo.


0 comentários:

Postar um comentário