23 julho 2018

O BAZAR DOS SONHOS RUINS, livro de contos de Stephen King

postado por Manu Negri


Alô, alô, Terezinha, voltando à TAG de Livros com mais uma obra dele, este senhor cheiroso, rico, amante do Maine, dono de um maxilar de personalidade e que já adaptou 80 de seus 70 livros publicados.

Olar
Lançada neste ano pela Suma de Letras, O bazar dos sonhos ruins é a mais nova coletânea de contos e poemas de Stephen King que eu achei que iria me atropelar de frente e depois de ré, mas no máximo deu uma buzinada e eu acenei sorrindo.

A capa do livro é uma belezura só, talvez uma das mais bonitas das obras dele lançadas pela editora, mas, pra mim, trouxe vários dos contos mais fracos do mestre. O que comentar dos poemas, que preferi arrancar meus olhos com uma lixa de unha do que terminá-los? Quer dizer, depois que você lê um Quatro Estações da vida, que contém O corpo (adaptado para Conta comigo) e Rita Hayworth e a redenção de Shawshank (adaptado para Um sonho de liberdade), você fica com as expectativas um cadim elevadas, sabe como é.

O primeiro conto da lista, Milha 81, abre bem as cortinas e me deu aqueeela animada. Afinal, a história é sobre um fucking carro abandonado que COME GENTE. Ou seja, potencial pra muito mais coisa maravilhosa pela frente, né? Bom, nem tanto. King tem um puta talento pra te envolver logo no início de suas narrativas, mas, como ele mesmo sabe, finais não são o seu forte, e vários de seus contos aqui sofrem disso. Eu tarra lá, agarrada nas páginas, contando quantas faltavam pra terminar, pra chegar no próximo da fila, gritando E AÍ, E AÍ, E AÍIII?, e aí, nada.

Em compensação, personagens bem escritos, que são uma de suas marcas, estão em O bazar. E, entre muitos contos sobrenaturais, você vai se deparar com alguns bem-humorados e outros que podem gerar uma reflexão interessante sobre moralidade, valores da sociedade, ganância, obsessão e até amor.

Dos mais de 18 títulos aqui, destaco meus favoritos:
  • Duna (que tem um final ótimo!!111)
  • Garotinho malvado
  • Moralidade
  • Indisposta
  • UR
  • Fogos de artifício e bebedeira
  • O pequeno deus verde da agonia
  • Obituários
Eu diria que, ao invés de sonhos ruins, tive um bazar de melhores passatempos em viagens de ônibus ao trabalho. É óbvio que está recomendado. Porque, mesmo com obras esquecíveis, Stephen King é Stephen King. Adivinha de quem é o livro que estou lendo atualmente e que em breve vai ganhar textinho aqui? Touché



0 comentários:

Postar um comentário