06 dezembro 2015

Como funciona o Oscar e quais são as apostas para os indicados de 2016

postado por Manu Negri


Em janeiro serão anunciados os indicados ao Oscar 2016. Dia 28 de fevereiro acontece a cerimônia. Mas é agora, neste fim de ano – quando acontece a corrida –, que a mídia fica com fogo no cu apostando em quem vai ou não entrar na lista final em meio a várias premiações que podem definir o caminho de vários filmes rumo à estatueta dourada. :B

Não que eu ache o Oscar a coisa mais justa do mundo. Mas não dá pra negar que ele é a maior premiação de cinema do mundo, pelo buzz, visibilidade e tudo mais. Todo ano é a mesma coisa: conto os dias pra data da cerimônia, preparo a pipoca, entro na festa de comentários do Twitter – desde o tapete vermelho – e erro 80% dos vencedores. Isso porque ou não assisti aos filmes ou torço com o coração (o Oscar nem sempre é sobre quem realmente é o melhor do ano, né? #subjetividade).

Dessa vez, estou mais preparada: além de estar mais por dentro de como são os paranauê da premiação, resolvi acompanhar a corrida do Oscar. Então apronta aí o papelzinho do bolão e vem comigo, porque vou querer ver todos os lindos apostando ano que vem.


QUEM DECIDE OS INDICADOS E OS VENCEDORES?

Aí vocês falam: “a Academia, oras!”. Tá, mas quem é a Academia?
É a Academia de Artes e Ciências Cinematográficas: um grupo criado com o compromisso de promover a excelência do cinema através de pesquisas e desenvolvimento de novas tecnologias, por exemplo.


QUEM FAZ PARTE DA ACADEMIA


Olha, é muita gente. Mais de 6 mil pessoas. Sim, e é essa galera toda que decide quem leva pra casa os oscarzinhos todo ano. São profissionais divididos em vários ramos lá dentro: atores, atrizes, diretores, técnicos de som, diretores de fotografia e etc., que votam nas categorias às quais pertencem. Sacou? Atores e atrizes votam para Melhor Ator e Atriz, principal e coadjuvante; diretores de fotografia votam para Melhor Fotografia; diretores para Melhor Diretor e assim por diante. Somente a categoria de Melhor Filme tá liberada pra todo mundo votar e, Melhor Filme Estrangeiro, um comitê específico pra isso.

Troféu Domingão Melhores do Ano
Pra ser membro da Academia, até dá pra se candidatar, mas pra ser aceito é preciso trabalhar em um dos ramos do cinema. Outra forma de fazer parte é ser convidado: pra isso, basta ganhar algum Oscar na vida. Sim, pessoas como Brad Pitt, Sophia Coppola e George Clooney, por exemplo, são membros da Academia e participam das votações :). Porém, 77% desses membros são homens, com média de idade de 62 anos; ou seja, maioria conservadora. Como disse uma colega, "frescos do cu". Então, se você já ouviu que o Oscar é conservador, tá certinho. Com isso em mente, é mais fácil entender como os ganhadores são escolhidos.


QUEM PODE CONCORRER AO OSCAR E #COMOFAS

Tcharam: qualquer um pode!
Claro que há regrinhas envolvendo tempo de exibição, datas de estreia e tal, mas qualquer filme pode se candidatar. Até Crepúsculo.

Todo produtor que quer levar seu filme ao Oscar primeiramente preenche o formulário do Official Screen Credits  onde constam os créditos da produção para todas as categorias às quais o filme pretende concorrer  e o entrega até, geralmente, início de dezembro. Depois disso, a Academia pega esses formulários todos (certamente são muitos) e joga tudo numa lista chamada Reminder List of Eligible Releases. Em janeiro, os membros recebem da organização uma cópia dessa lista de candidatos junto com uma cédula de indicações e aí precisam restringir suas escolhas para apenas 5 candidatos por categoria (menos a de Melhor Filme) em até duas semanas.

Uma empresa de auditoria, a PricewaterhouseCoopers, recebe as cédulas com os filmes pré-selecionados, contabiliza e nomeia os mais votados, que são aqueles anunciados oficialmente numa coletiva de imprensa ao vivo. Os vencedores, daí, são escolhidos assim: as cédulas com os indicados em cada categoria voltam pra Academia e os membros escolhem seus favoritos. Depois, os auditores contabilizam os votos de novo e selam os resultados, que só são conhecidos na própria cerimônia do Oscar, no famoso "and the Oscar goes to...".

Saiba que torci pra você, Emmanuelle!

MARKETING É TUDO

Voltando um pouquinho atrás: quando os formulários são entregues pra Academia, aqueles lá que os produtores preenchem, começa um festival de marketing em que todo mundo corre pra promover seus filmes.

Quando digo promover, não é subornar os membros da Academia, viu? Inclusive é proibido os estúdios enviarem presentinhos em troca de votos, fazerem ligações para membros ou enviarem ações via correio, sob pena de desclassificação. O que eles enviam são os screeners, que são cópias em DVD dos seus filmes, além de veicular anúncios chamados de For your consideration em sites e revistas especializadas nos EUA, como Variety e Hollywood Reporter. Os For your consideration geralmente vêm com uma imagem grandona do filme, trechos de críticas importantes e as categorias do Oscar pretendidas:


E isso tudo é interessante, porque... você acha mesmo que os membros votantes assistem a todos os filmes que se candidatam ao prêmio? Como dizia o Scar, "a vida não é justa". Por isso, a qualidade do filme tem que ser tão boa quanto seu marketing. Eu costumo (tento) acompanhar os ganhadores do Festival de Cannes, que geralmente têm filmes incríveis concorrendo à Palma de Ouro; caso um deles também esteja tentando entrar no Oscar, por exemplo, mas seu marketing for fraco, é mais difícil que os votantes o assistam. Logo, ganha menos votos e tchau-tchau.

Para 2016, não existe um possível candidato a Melhor Filme que seja favorito absoluto dos críticos. Mas, à medida que as estreias foram acontecendo e principalmente agora, em meio à Temporada de Premiações, vários veículos começaram a traçar suas apostas para as categorias principais. Então, depois de tudo o que já li, assisti e com base em alguns chutes também, aqui vai a relação das apostas para os indicados ao próximo Oscar (AI, MAMÃE):


AS APOSTAS PARA O OSCAR DE 2016


MELHOR FILME

Para ser candidato, o filme deve durar mais de 40 minutos e ser exibido em 35 mm, 70 mm ou em formato digital em um cinema comercial da cidade de Los Angeles antes da meia-noite do dia 31 de dezembro (eita!). Além disso tudo, ele deve ficar em cartaz por sete dias consecutivos, pelo menos.


Ainda há buzz sobre Divertida Mente estar entre os indicados, além de Os oito odiados (o novo do Quentin Tarantino), A garota dinamarquesa e Joy  O nome  do sucesso (mais uma parceria entre Jennifer Lawrence e o diretor David O. Russel, de Trapaça e O lado bom da vidazzzzz).

Dentre os 10 acima, talvez Spotlight seja o mais forte concorrente; a história, baseada em fatos reais, mostra um grupo de jornalistas em Boston que reúne milhares de documentos capazes de provar diversos casos de abuso de crianças por padres católicos. Spotlight anda colecionando muitas críticas positivas e já ganhou prêmios no Gotham Awards e no Festival Internacional de Chicago. O regresso, novo filme do diretor Alejandro Iñárritu (de Birdman, que ganhou o Oscar no ano passado), narra a aparentemente incrível história de sobrevivência e vingança do lendário explorador Hugh Glass, que é atacado por um urso, dado como morto pelos outros membros de sua equipe de caça e deixado pra trás. Carol, de Todd Haynes (nunca vi, sempre te amei; falei sobre o livro aqui), foi bem cotado para levar a Palma de Ouro em Cannes este ano e ganhou forças nas últimas semanas por liderar as indicações ao Independent Spirit Awards e por vencer em 4 categorias na premiação dos Críticos de Nova York, incluindo Melhor Filme. O drama, ambientado nos anos 50, é sobre o romance proibido entre Carol, uma mulher madura e sofisticada, e Therese, uma jovem vendedora de uma loja de brinquedos. Os únicos a que assisti foram Perdido em Marte e Mad Max – Estrada da fúria, que eu adorei. Como cinema, Mad Max é um espetáculo visual muito bem dirigido. Fiquei surpresa quando comecei a ver Perdido em Marte figurando nas listinhas de prováveis indicados porque sei lá, não achei que fosse pra tanto, mas agora me parece natural. Ponte dos espiões eu deixei passar no cinema, mas está sendo bem elogiado também, com boa avaliação no Rotten Tomatoes e, né, é do Steven Spielberg. Estou com MUITA vontade de ver O quarto de Jack desde que terminei o livro (post aqui): dizem que está lacrador, com Brie Larson atuando lindamente, é grande favorito e concorreu a vários prêmios, ganhando como Melhor Filme por escolha do público no Festival de Toronto. Brooklyn é outro que estou bem curiosa, também baseado em um livro (que não li), sobre uma mocinha irlandesa que se muda de sua terra natal e vai morar em Brooklyn, nos EUA, pra tentar realizar seus sonhos. Parece que Saoirse Ronan, a pirralha de Desejo e reparação, cresceu, virou molier e tá arregaçando na interpretação. Aí uns dias atrás estreou Creed, o novo filme do Sylvester Stallone que conta a história de quem? SIM, do filho do Apollo Creed, que ama boxe e vai ser treinado por quem? ROCKY BALBOA, amigos. Tá causando o maior furdunço e empurrando quem tava na fila dos indicados pra conseguir seu lugar. Já Steve Jobs, bem, eu realmente estou cagando e andando, não estou curiosa assim pra conhecer a vida dele (eu sei que ele foi foda, a questão não é essa). O filme tinha mais força antes de sua estreia comercial, mas ainda é bem cotado e eu literalmente chutei ele como último da lista pra estar entre os 10. :B


Melhor diretor 

Senhoras e senhores, 5 em cada categoria: é aqui que a gente começa a errar. (Ou não.)

O diretor é o cara (ou a mina) que coordena todos os elementos do filme: artísticos, dramáticos e técnicos. Determina o tom e o estilo do filme a partir das ideias do roteirista e do diretor de fotografia, comanda a atuação e gerencia as funções dos outros integrantes da equipe.


Ok, talvez Todd Haynes não faça parte do grupo. Talvez a Academia o considere cult demais. Mas definitivamente não tô a fim de colocar o David O. Russel e ainda há lugar pro Tarantino. Só por ser o Tarantino.


Melhor Ator

Essa a gente sabe: é a pessoa que interpreta o personagem principal do filme. Melhor Atriz é a personagem feminina principal e, coadjuvantes, os secundários.

Na primeira etapa do processo de indicação, os atores membros da Academia votam nos nomes mais elegíveis e decidem se tal ator/atriz deve concorrer à categoria principal ou coadjuvante, dependendo do número de votos que o nome recebe.


Nenhum ator de Spotlight entrou porque parece, rola por aí, diz a lenda, que o estúdio definiu que deveriam todos concorrer por Coadjuvante. Eddie Redmayne já ganhou o Oscar no ano passado por A teoria de tudo, mas parece que tá merecendo concorrer por viver o pintor Einar Wegener, a primeira pessoa a fazer a cirurgia de mudança de sexo no mundo. Só que, olha, acho que 2016 finalmente será o ano de glória pra Leonardo DiCaprio. Isso aqui é só aposta dos indicados, mas acho que ele já é o vencedor. Passou da hora de ele ter uma alegria dessa na vida.

O que vai ser da gente sem os memes?



Melhor atriz


Cate Blanchett deveria ganhar um Oscar só por existir, pra começar. Felizmente, além disso, ela é forte concorrente na categoria, junto com Brie Larson. Conheci o trabalho da Brie em Short Term 12 (tarra ótima) e, por O quarto de Jack, ela já ganhou e concorreu a alguns prêmios pelos festivais de cinema do mundo. Cate ganhou o Oscar por Blue Jasmine há 2 anos, então provavelmente não leva agora. E chega de Jennifer Lawrence, a namoradinha da América, por favor. A Academia adora premiar gente jovem, então toma aí a Saoirse, beijas.


Melhor ator coadjuvante


Enquanto eu escrevia esse post, Mark Rylance ganhava o prêmio de atuação do Boston Society of Film Critics. O que dizer de Sly? Talvez ele não seja bom ator, mas seja marketeiro como ninguém. Michael Keaton e Mark Ruffalo foram indicados no ano passado por Birdman e Foxcatcher, respectivamente,  mas não levaram. Tom Hardy faz uma participação pequena em O regresso, em comparação com Leozinho, mas dizem as boas bocas que a interpretação está assombrosa.


Melhor atriz coadjuvante


O negócio é o seguinte: The Weinstein Company e Focus Feature estão fazendo campanha pra Rooney e Alicia entrarem como coadjuvantes, mas a Academia pode ir lá e pá, colocá-las na categoria de principais. Isso aconteceu com Kate Winslet, por O leitor. Ou seja, essas apostas correm algum risco de irem pro saco, risos. Rooney começou a corrida como favorita desde que ganhou como Melhor Atriz em Cannes neste ano; Alicia não tão fica atrás, e não duvido do seu potencial em A garota dinamarquesa porque já fiquei encantada com ela em Ex Machina (comentei aqui). 


Melhor roteiro original

O roteiro é como se fosse o filme em forma de texto, em que estão descritos bonitinhos os diálogos/falas dos atores e as cenas. Quando o roteiro é original, significa que ele não foi baseado em nenhuma outra obra prévia, como um livro, conto ou peça teatral. Foi tudo tirado da cabeça de alguém.


Estou incerta, estou insegura. Sei que Divertida Mente é uma aposta forte, e a Pixar não concorre a roteiro desde os meados de 2009. Li que o de Spotlight é bem amarradinho e inteligente, conduzindo a investigação dos jornalistas sem ficar maçante. Os oito odiados foi escrito pelo Tarantino, que já ganhou por Pulp Fiction e Django livre e ainda concorreu por Bastardos inglórios; ou seja, o cara manja. Acima das nuvens talvez seja um grande chute, mas eu particularmente adorei o roteiro. 


Melhor roteiro adaptado

Esse a gente já sabe também, certo? Mas detalhe: ganha o roteiro que melhor transpõe o texto da obra original para a tela do cinema, e não o que é 100% fiel. Afinal, adaptação é isso.


Assim que terminei de ler Quarto, pensei: caramba, merece um Oscar quem conseguir adaptá-lo pro cinema (o livro é narrado em primeira pessoa por um garoto de 5 anos). Bom, Emma Donoghue está aí como forte candidata na categoria por O quarto de Jack, mas, vamos combinar: ela é a autora da obra. Aposto no restante porque estão sendo falados, porque vi Perdido em Marte e porque li o livro AND o roteiro de Carol. 


Melhor animação


Anomalisa tem um visual realista incrível, construído em stop motion, os desenhos deste ano parecem ser umas gracinhas, mas todos sabemos que quem vai ganhar é Divertida Mente. Isso se não for parar na categoria geral de Melhor Filmes mesmo. Nesse caso, não sei #comofas.


Melhor filme estrangeiro

Valem como estrangeiras as produções não faladas em inglês e realizadas fora dos EUA. Apenas um filme pode ser indicado por país e ele não precisa ser necessariamente exibidos nos cinemas americanos.   


Desculpa, só tenho olhos pra Que horas ela volta? (falei dele aqui) e vou torcer fervorosamente pra realmente estar pelo menos entre os indicados. Não apenas por ser brasileiro, mas porque é um filme maravilhoso. Assisti a Cinco graças ontem e gostei muito também; Labirinto de mentiras pretendo conferir no próximo fim de semana, junto com A assassina. Mas, de todos esses, O filho de Saul é o mais badalado pela mídia e críticos, sendo cotado até pra concorrer na categoria Melhor Filme. 


Melhor fotografia

O diretor de fotografia é responsável pela escolha das lentes das câmeras, negativos e movimentos das cenas, além da sua iluminação e enquadramento, geralmente em conjunto com o diretor. 


Emmanuel Lubezki, diretor de fotografia de O regresso, já foi nomeado 7 vezes nessa categoria e ganhou no ano passado, inclusive, por Birdman. Mad Max eu nem preciso falar, porque quem viu o filme sabe o quão foda é a fotografia. Robert Richards faz outra parceria com Tarantino aqui, e já concorreu 8 vezes ao Oscar. Roger Deakins foi além: 12 nomeações, entre elas por Os suspeitos e Skyfall. Ed Lachman, que assina a fotografia de Carol, concorreu uma vezinha só, tadim, por Longe do paraíso, outro filme do Todd Haynes. Quem sabe a força esteja com ele e com seu Super 16 mm. 


Ufa. Daqui pra frente é só tiro, pá-pum. Combinados?

Melhor documentário

1. Amy (sobre a Amy Winehouse :B)
2. O peso do silêncio
3. What happened, Miss Simone?
4. Cartel land
5. Best of enemies



Melhor edição

As cenas de um filme geralmente não são filmadas em ordem cronológica. Mas tudo bem, porque pra isso trabalham os editores/montadores, que organizam a ordem das imagens que vão aparecer no filme, montando da melhor forma e excluindo takes que não vão servir.

1. Mad Max
2. O regresso
3. Spotlight
4. Perdido em Marte
5. Os oito odiados


Melhor design de produção (antiga 'Direção de Arte')

O designer de produção/diretor de arte coordena o figurinista, o maquiador e o iluminador, comandando a harmonia de tudo, além de idealizar os cenários. Resumidamente, ele é responsável pela parte visual do filme.

1. Carol
2. Brooklyn
3. A garota dinamarquesa
4. Cinderella
5. Mad Max


Melhor figurino

Os figurinistas desenham as roupas dos personagens especialmente para os filmes em questão. Segundo minhas pesquisas, rs, a Academia costuma valorizar os figurinos de filmes de época, em que há estudos para a fidelização da reconstituição.

1. Carol
2. Cinderella
3. A garota dinamarquesa
4. Brooklyn
5. As sufragistas




Melhor trilha sonora

A trilha sonora nada mais é do que o conjunto de músicas instrumentais compostas exclusivamente para o filme. :D

1. Os 8 odiados
2. Ponte dos espiões
3. A garota dinamarquesa
4. Star Wars: O despertar da força
5. Carol


Melhor canção original

É parecida com a anterior, mas é uma música com letra e melodia criadas somente para o filme.

1. Love me like you do (50 tons de cinza) (POLÊMICA!!!11)
2. See you again (Velozes e furiosos 7)
3. One kind of love (Love & Mercy)
4. Til it happens to you (The hunting ground)
5. Writing on the wall (007 contra Spectre)


Melhores efeitos visuais

1. Star Wars: O despertar da força
2. Jurassic World - O mundo dos dinossauros
3. Perdido em Marte
4. Mad Max - Estrada da fúria
5. No coração do mar


Melhor maquiagem

São avaliadas alterações físicas faciais e corporais produzidas por meio de maquiagem, próteses, cosméticos e afins.

1. Aliança do crime
2. Star Wars: O despertar da força
3. A garota dinamarquesa
4. Mad Max - Estrada da fúria
5. O regresso 

Prazer, Johhny Depp

Melhor mixagem de som

O técnico em mixagem de som reúne todos os sons, sejam naturais ou artificiais, captados ou inventados, e os mistura à música e trilha sonora, sempre buscando o equilíbrio e harmonia com o que está acontecendo no filme.

1. Star Wars: O despertar da força
2. No coração do mar
3. Perdido em Marte
4. Mad Max - Estrada da fúria
5. Jurassic World - O mundo dos dinossauros


Melhor edição de som

O editor de efeitos sonoros coordena a captação do áudio durante a filmagem (som ambiente e diálogos dos atores) e a sincronia sonora durante a montagem. Além disso, ele é responsável pela criação de ruídos que não existem na filmagem original e que são incluídos na pós-produção.

1. Mad Max - Estrada da fúria
2. Star Wars: O despertar da força
3. Perdido em Marte
4. No coração do mar
5. O regresso


Não temos nada sobre Melhor curta e curta de animação porque não li nada a respeito nos últimos meses. Mas tá bom já, né? GRAANDE. Espero que tenham gostado. :)
Quem tiver mais e outras apostas, pode escrever nos comentários que vou adorar saber!


0 comentários:

Postar um comentário